Você sabia que, no Brasil, o índice de pessoas que já incluíram vegetais em seus hábitos alimentares é de apenas 24% da população? Apesar de o país ter uma imensa variedade de frutas, hortaliças, tubérculos, leguminosas, oleaginosas e sementes típicas, a maior parte da população tem como alimento básico o arroz, feijão e alguma proteína animal.

Desde que comecei a reparar nesse índice, escuto frases como: “não gosto de nada verde, detesto legumes, não gosto de comer o que não me parece delicioso”. Isso pode ser difícil de compreender, mas talvez seja um pouco responsabilidade de quem cozinha também.

Para quebrar esse tabu na alimentação devemos saber algumas regrinhas básicas para aperfeiçoar nosso produto final à mesa. É importante sempre manter a cor, textura e o sabor natural dos alimentos. No geral, quando mantidas essas características, conservamos as qualidades nutritivas do alimento também.

Como escolher e preparar vegetais

Aconselho aos aventureiros da cozinha a trabalhar sempre com produtos selecionados e sempre que possível conhecer sua procedência e selecionar os regionais, ou seja, evitar os que venham de muito longe.

Ao cozinhar, os legumes deverão ser sempre cozidos em água e sal. O sal, além de favorecer o sabor do alimento, ajuda a revitalizar sua cor natural. Somente nas leguminosas de cor avermelhada (como beterraba) e branca (couve-flor, por exemplo) é que devemos adicionar além do sal um produto ácido, como vinagre, limão ou um vinho de sua preferência. Pois assim evitamos aquele aspecto acinzentado e nada apetitoso para muitas pessoas.

Aprenda a servir vegetais sempre frescos e deliciosos

Outra dica: leguminosas que crescem acima da terra deverão ser adicionados sempre em água fervente, e alimentos que crescem abaixo da terra (como, por exemplo, os tubérculos: batata, mandioca, etc) deverão ser adicionados a água fria para depois ferver com elas.

Quando os vegetais estiverem cozidos, com ajuda de um garfo, experimente de vez em quando para ver se estão macios e crocantes. O nosso paladar é o melhor medidor de tempo de cocção. Nunca duvide da sua própria intuição culinária!

E não se esqueça de que devemos servir a refeição logo depois que os legumes estiverem prontos e quentinhos. Mantê-los quentes por muito tempo faz com que percam qualidades naturais de cor, textura e sabor, assim como as virtudes nutritivas.

Veja alguns exemplos de receitas criativas com vegetais frescos.

*Texto por Priscila Urbano