Do acompanhamento à atração principal, nenhum cardápio está completo sem uma salada. Apesar delas serem frequentemente consideradas a parte “obrigatória” da refeição, podem se tornar suas novas favoritas com esse guia completo sobre combinações, curiosidades, armazenamento e dicas para você deixar a sua alimentação mais saudável, sem abrir mão de sabor e praticidade! 

Neste artigo, você vai encontrar: tipos de saladas, tipos de molhos e harmonização, combinações e dicas!

Tipos de saladas

A base é o principal ingrediente. É ela quem cria a identidade da salada e muitas vezes dá seu nome a ela. Essa base pode ser composta por um único ingrediente, como uma alface ou batatas cozidas, ou pela mistura de dois ou mais, como um mix de folhas ou vegetais. Os tipos mais comuns são:

Salada de folhas

saladas de folhas

Composta por folhas inteiras, rasgadas ou fatiadas, cruas ou refogadas. O ideal é misturar pelo menos três tipos de folhas, intercalando doces, amargas e de cores e texturas diferentes.

Saladas de grãos

saladas de grãos

Podem ser compostas por um único tipo de grão ou por um mix de vários como: trigo, grão-de-bico, quinoa, arroz selvagem, entre outros.

Salada de legumes e/ou tubérculos

saladas de legumes e tubérculos

Os legumes e tubérculos podem ser assados, grelhados, refogados, cozidos ou até mesmo – no caso dos legumes – fatiados ou ralados, crus. Procure sempre misturar pelo menos três ingredientes diferentes. Quanto mais colorido melhor. Um exemplo é a nossa famosa maionese de churrasco!

Saladas mistas

saladas mistas

Como o nome sugere, podem ter dois ou mais elementos como base como: uma folha, um legume e um grão, fora a infinidade de opções de ingredientes complementares.

Saladas de PANC’s

saladas panc's

As Plantas Alimentícias Não Convencionais têm valor nutricional elevado, nascem naturalmente em determinadas regiões e muitas vezes são confundidas com “mato”. São elas: brotos, folhas, caules ou inflorescências, como o “coração da bananeira”. Podem ser consumidas cruas ou refogadas.

Tipos de molhos

tipos de molhos de salada

Quando se trata de temperar uma salada, nada melhor que um molho que case perfeitamente com os ingredientes escolhidos! Cada molho tem uma indicação de uso, você pode testar suas próprias misturas e ir descobrindo de acordo com o seu paladar, mas vamos deixar algumas sugestões aqui para facilitar:

  • Molhos Cítricos: Esse tipo de molho é o mais consumido, pois a maioria busca compensar o sabor das folhas com a acidez, seja de algum tipo de vinagre (maçã, vinho, balsâmico etc) ou do limão. Traz a sensação de refrescância e leveza, além de dar uma mãozinha pra digestão, por isso é recomendado quando há elementos mais gordurosos ou fortes, como embutidos e carnes, e é tão apreciado em churrascos, na forma do famoso vinagrete. Para sair do básico, que tal mudar o ácido tradicional por uma fruta tipo maracujá, laranja ou kiwi?
  • Molhos Suaves: Um molho coringa, vai bem com quase tudo! É ideal para usar quando a salada é mais ousada e precisa de algo para trazer suavidade, quando possuem ingredientes mais fortes ou exóticos, como bacon, embutidos e alho frito, ou ainda para harmonizar por semelhança com proteínas leves, como peixes, queijos brancos e aves. Também fica ótimo em saladas com frutas cítricas em sua composição, pois ajuda a trazer equilíbrio para suas misturas! Normalmente é à base de azeite ou alguma outra gordura de sabor suave.
  • Molhos Adstringentes: Os molhos adstringentes têm o “superpoder” de “cortar” o sabor da gordura e do sal, por isso harmonizam maravilhosamente com embutidos e queijos mais gordurosos, podendo até dar uma leve sensação de “amarrar a boca” no final. Como o que a gente sente quando come caqui, mostarda, maçã, pêra e em algumas cervejas, que podem ser a base desse tipo de molho. Esses molhos também dão um toque especial em saladas mais neutras, suaves ou adocicadas, com o seu sabor peculiar e intenso.
  • Molhos Agridoce: São literalmente a mistura de ingredientes doces e salgados, como mostarda e mel. É uma ótima opção para saladas de folhas mais amargas, como agrião, radicchio, escarola e a rúcula, ou com ingredientes adstringentes, como broto de feijão, leguminosas e frutas como pera e maçã, além de ficar ótimo com legumes assados ou grelhados! Eles também dão um toque de Chef em saladas mais completas, que possuem proteínas com sabores mais fortes, como embutidos e carnes apimentadas ou bem temperadas!
  • Molhos Cremosos: O melhor acompanhamento para saladas de tubérculos e legumes, principalmente com o famoso Crudité (legumes crocantes, como cenoura, pepino, tomate cereja). É um molho mais denso, feito a base de alguma leguminosa, gordura ou de qualquer coisa que possa virar um purê cremoso ou uma emulsão, até mesmo um molho bem reduzido e incrementado, como o molho de tomate com um pouco de coalhada seca, por exemplo. Você também pode substituí-los pela maionese nas saladas e outros preparos.

E se você gostou e quer saber mais sobre molhos,  dê uma olhada nesse artigo para aprender a fazer molhos fabulosos e dar um toque de Chef nos seus pratos!

Combinações sem erro

combinações de saladas

Agora que você já conhece as bases, vamos te apresentar os outros elementos que compõem uma salada! Os ingredientes complementares são tudo aquilo que você adiciona para deixar sua salada mais interessante, nutritiva e saborosa, como algo crocante (croutons, frituras, legumes ou frutas crocantes – tipo rabanete e maçã), colorido (cenoura, tomates, beterraba, tudo que adiciona uma cor diferente da base) ou de sabor marcante (embutidos, queijos, conservas, compotas, etc). E por fim, o molho, responsável por “amarrar tudo”, ou seja, pode complementar, intensificar ou suavizar os sabores da sua salada, conforme os ingredientes escolhidos como base e complementares.

Certo, agora você sabe exatamente como uma salada deve ser! Quer inovar, mas tá meio travado ainda? Então confere aqui algumas sugestões para sair do básico:

Saladas completas

  • Cobb Salad: Alface, agrião, frango assado ou grelhado, bacon, ovo cozido, abacate, queijo ‘roquefort’ e cebolinha. Todos picados e colocados lado a lado, regados com um vinagrete de vinho tinto. 
  • Salada colorida e cremosa: Mix de folhas, abóbora assada, atum, azeitona, brócolis assado e espinafre refogado, com molho cremoso de iogurte, limão e tahine.
  • Caesar: Alface-romana ou americana, frango desfiado ou grelhado em tiras, croutons regados em azeite e molho cremoso de maionese, alho, aliche, limão e parmesão.
  • Salada morna completa: Grão-de-bico ou lentilha, frango ou tofu, folhas verdes refogadas, batata-doce e cebola roxa assada, com molho cremoso de gorgonzola.

Saladas clássicas

  • Ratatouille: Berinjela, abobrinha, pimentão amarelo, cebola e tomate. Todos cortados em rodelas e assados, com azeite de tomilho e manjericão.
  • Caprese: Mussarela de búfala, tomate e manjericão, regados com azeite extra virgem, na ordem, tamanho e formato que preferir!
  • Fatuche: Alface-romana, pão sírio, pepino japonês, tomate, rabanete e hortelã, regados ao molho de romã, limão e zaatar.
  • Salada Waldorf: Salsão, maçã verde, nozes e maionese ou creme de leite fresco batido. Tudo temperado com azeite, sal e limão. Normalmente é usada como recheio ou complemento de uma folha, como endívias ou alface.

Saladas para acompanhar peixes

  • Salada de lentilha: Alface-romana, rabanete e cebola roxa fatiada, lentilhas vermelhas cozidas, tomate-cereja e abacate, com vinagrete de pimenta jalapeño.
  • Salada com castanhas: Alface-americana, cenoura ralada, broto de alfafa, azeitona chilena, cogumelos paris fatiados, amêndoas, castanha de caju e gojiberry, ao molho de framboesa.
  • Salada grega: Tomate, pepino japonês, cebola, queijo feta e azeitonas, com muito azeite, sal e pimenta-do-reino.
  • Salada asiática: Arroz basmati, ervilhas frescas, milho, pimentão vermelho e broto de bambu ao vinagrete de gengibre, shoyu e chutney de manga.

Saladas para acompanhar carnes suínas e vermelhas

  • Salada Tropical: Alface, rúcula, agrião, morango, uva sem semente, manga e pepino, regados em vinagrete de framboesa e limão.
  • Salada Crocante: Rúcula, tomate-cereja, brócolis, grão de soja torrado, folhas de hortelã e croutons, ao vinagrete francês com cubos de pêra assada.
  • Salada Coleslaw: Repolho verde fatiado, cenoura ralada e uvas-passas, com um molho cremoso de maionese.
  • Salada de Batatas: Batatas, ovos (de galinha ou codorna), cebola e/ou alho picadinhos, tudo envolto em um molho cremoso de maionese e mostarda.
  • Salada de Couve com Laranja: Couve fatiada e gomos de laranja ao vinagrete de vinho branco com mostarda em grãos.
  • Caponata de legumes: Berinjela, pimentões (amarelo e vermelho), cebola roxa, tomates-cereja ou champignons, nozes, azeitonas e uvas-passas. Tudo isso assado no forno com vinagre de vinho tinto, azeite, sal e pimenta a gosto, até caramelizar.

Saladas para acompanhar frango

  • Salada Verde Agridoce: Alface mimosa, alface-americana, rúcula, agrião e amêndoas torradas, ao molho de manga, mel e pimenta-dedo-de-moça.
  • Salada de Batata-doce: Batata-doce assada ou grelhada, cebola, tomate, pimentão amarelo, abacate, milho, azeitona preta e coentro, regados ao vinagrete de limão e azeite de alho.
  • Salada de quiabo: Quiabo grelhado, cebola, pimentão, tomate-cereja, salsinha e gergelim, ao molho de iogurte e alho.
  • Salada colorida com bacon: Alface e acelga fatiadas, cebola roxa fatiada, cenoura ralada, tomates em cubos, bacon frito picado e batata palha, envoltos em molho de maionese, azeite e mostarda dijon.

Observação: Lembrando que essas sugestões podem ser adaptadas para ingredientes da sua rotina ou que você tem em casa, de acordo com a sua disponibilidade ou preferência!

Dicas

A sensação da salada é tão importante quanto o seu sabor. Misture texturas e sabores diferentes, como a maciez de uma abobrinha cozida com a crocância de chips de alho ou bacon, ou o dulçor de tomates secos com o amargor da rúcula. Deixe a imaginação fluir e faça seus testes de Chef sem medo de errar! 

Escolha elementos coloridos e com formatos diferentes, isso vai ajudar o seu prato a ficar mais nutritivo e bonito. Fique de olho nas verduras, legumes, frutas e castanhas da época – Além de serem nutritivas, são mais baratas. 

Não se prenda ao básico! Inclua grãos, legumes assados, crus, em conserva, folhas de coentro ou salsinha, o que lhe agradar e estiver disponível.

A salada pode ser um prato completo ou apenas um acompanhamento, o que vai ditar sua função será o tipo e valor nutricional dos elementos que a compõem. As mais completas possuem proteínas, fibras, carboidratos, gorduras e vitaminas. 

Quando fizer saladas mornas ou quentes, evite folhas muito sensíveis ao calor como alface e rúcula. Dê preferência às mais resistentes, como couve, acelga ou repolho para  manter a crocância, sem precisar se preocupar tanto com a temperatura. O mesmo vale quando for rechear as folhas com algo quente.

Para finalizar sua salada, adicione sementes. Além de crocância, elas garantem uma quantidade boa de gordura saudável e proteínas. 

Por último, só misture o molho na hora de comer! Isso ajudará a manter sua salada mais fresquinha, com as texturas corretas e com uma durabilidade maior. 

Curtiu o conteúdo? Se você está procurando ter uma rotina mais saudável sem abrir mão de sabor e praticidade, então segue essas dicas de receitas aqui para preparar pratos lowcarb deliciosos e práticos ;)

Deixe uma resposta